O pão nosso de cada dia!

É impressionante o afeto que a humanidade tem pelos pães! Aqui perto da minha casa eles são expostos para venda num bercinho, um cesto de vime em forma de berço, forrado com tecido com bordas de crochê e protegido por um mosquiteiro de filó! Enfim, aconchegados da mesma forma que fazemos com os nossos bebês! Nada mais na loja é vendido assim! Só os pãezinhos!
A Culinária Viva tem cá seus pãezinhos também! Chapates, Sueco, Sírio são clássicos vivos na cozinha viva! Com temperos variados temos uma variedade de receitas e sabores.
A grande matriarca das receitas dos pães vivos é a do Pão Essênio. Que foi encontrada nos manuscritos do mar morto, tem cerca de 4.000 anos, sua base é o trigo germinado! Eles eram pilados com sal e desidratado nas pedras, expostos ao sol.
Bem, no alto verão em Niterói (RJ), desidrato o pão ao sol na janela do apartamento, em bem menos de duas horas! Um luxo!
Na nossa corrida modernidade os liquidicamores, processadores e moedores elétricos estão aí para facilitar nossas vidas! Os moedores manuais resolvem nos lugares livres de energia elétrica! O forno a gás nos socorre nos dias de chuva como hoje, por exemplo! Os desidratadores elétricos são muito utilizados em lugares muito frios ou restaurantes vivos que precisam de uma produção constante. Mas cá entre nós, um chapate vivo amornadinho na hora é tudo de bom!
Deu água na boca? Pois é! Espera aí que já voltou! Vou virar os meus pãezinhos que estão desidratando no forno agora, nessa quarta feira chuvosa! rs...